Não quero ser mais a pessoa que “não está nem aí”

Sempre fui a pessoa que “não está nem aí” e honestamente na maior parte do tempo é a coisa mais fácil a ser feita. Nunca fugi de problemas, mas às vezes não estar nem aí é uma forma de não criar novos. Ninguém vem realmente te cobrar nada quando você não está nem aí, não é? Ninguém tem essa autoridade.

A grande questão é o que você perde por não estar nem aí. Não estou falando sobre quem diz que não está nem aí, mas das pessoas que realmente não estão nem aí. Você é uma dessas pessoas? Já pensou que se privou de um monte de coisa bacana só pra continuar desse jeito? Já pensou em quantas pessoas e oportunidades você perdeu por simplesmente não estar nem aí?

Ah, sim, a conta chega. Você vai se pegar um dia olhando para o nada e pensando: “Poxa, eu realmente queria ter me importado mais”. Talvez pense um pouco sobre e decida que não se importa nem com isso, mas aqueles pensamentos voltarão pra te perturbar um pouco… E então descobre uma coisa: Agora você liga um pouquinho!

E começar a se importar é o primeiro passo para deixar de ser a pessoa que não liga. Você não vai saber reagir muito bem com isso, nem as pessoas que sempre se importaram sabem como lidar com tudo que vem disso. Mas verá, por fim, que é necessário se importar! Não estar nem aí pra nada nem é tão legal ou irresistível quanto você pensava que era. E você só vê isso quando passa pra uma nova percepção: sim, as coisas e as pessoas não só importam – como 2importam pra cacete.

Começar a me importar com as coisas foi um tanto quanto estranho. Comecei a me ver em uma posição de vulnerabilidade que nunca tinha experimentado antes. E, de certa forma, gostei da mudança. Ficar fazendo pose de durão o tempo inteiro acaba ficando chato. Eu não quero me tornar mais um clichê entre tantos milhões dos que já existem por aí.

Não, eu não quero mais ser o cara que não liga. Não quero mais ser o cara que se afasta por qualquer besteira e que nem pensa a respeito das consequências dos seus atos. Eu cansei de ser assim tão incansável. Creio que agora me basta simplesmente… Ser humano!

Anúncios

4 comentários

    1. Tati, se eu tivesse a receita eu juro que te passava… Na real tive um trauma amoroso aos 18 e daí fiquei desse jeito até recentemente ahahahah mas foram bons anos… sem estresse, sem coração partido

      Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s