Se dê ao direito de ser EGOÍSTA

Tenho pensado em excesso sobre os outros, tenho me preocupado em demasia com eles tão somente pelo fato de que eu deveria ser ‘mais altruísta’. Foi algo que botei na minha cabeça há algum tempo. Tenho deixado de me divertir aos fins de semana, pois, pelos outros, acabo derramando água na minha chope. Você já bebeu chope com água? É uma das coisas mais horríveis e detestáveis dessa vida!

Mas não é só o chope que tem perdido a graça. De tanto pensar nos outros , nem mesmo andar pelas ruas tem a mesma graça. Caminho com os outros e, mesmo que estejamos indo para o mesmo lugar, acabo indo pelo caminho que os outros preferem e nunca pelo caminho que eu escolheria. Mesmo quando meu caminho é mais próximo e cheio de natureza até o destino, acabo me vendo no caminho cinza pelo qual eu não gostaria de ir, cheio de buzinas e carros acelerados.

Ando cansado de me repetir, de tentar, de um modo insistente, fazer com que o outro me escute tal como eu me escuto… Mas se eu me escuto, de alguma forma, acabo sendo ouvido! Quando a gente cansa de tentar fazer o outro nos ouvir e simplesmente deixamos que o outro vá para a cama, de alguma forma, nos tornamos egoístas. Quando queremos andar pela rua a nosso próprio modo e em nosso próprio caminho de preferência vestindo as roupas que gostamos, somos egoístas. Quando desejamos simplesmente a nossa cerveja, somos egoístas.

Entramos em uma demente ilusão de deixar que o outro defina o egoísmo. Quando o outro diz o que é egoísmo, o egoísta sempre será você, nunca o outro. Passe a se botar em primeiro lugar e de repente você se transformará na pessoa mais egoísta do universo. Bem… Mas de que isso importa? O outro sempre será o outro. Você sempre será você. Não importa nem o quão você ache o outro egoísta nem de quantas vezes você seja chamado de egoísta pelo outro. Meu bem, no século XXI, o egoísmo se transformou em uma espécie de protesto, quase um elogio!

Cá entre nós, meu maior pecado tem sido não ser egoísta o bastante, achando que de alguma forma o altruísmo me faria uma pessoa melhor. Sabe o que todo esse processo tem me feito? Só tem me tornado uma pessoa dependente do outro. Perdoei o imperdoável, acreditei no imperdoável e agi de formas através das quais jamais me reconheceria. Tudo pelo outro. E eu? É tudo um espectáculo de drama, quer eu o faça, quer o outro o faça. Tudo o que queremos é que o outro nos note, nos valorize, lute por nós… Mas e se o outro não está afim? Seria simplesmente egoísmo de nossa parte?

A pior parte é que a completa negação do egoísmo me fez negar algo dentro de mim, como se eu estivesse rejeitando um órgão recém implantado… Perdi algo dentro de mim! Algo que eu só posso recuperar se recuperar meu egoísmo: o fato de que eu sempre coloquei a minha felicidade acima da felicidade do outro. Entre escolher entre eu e o outro, eu sempre escolheria a mim, pois do contrário estaria sacrificando minha felicidade. A felicidade é uma espécie de egoísmo.

Pois bem! Pensando sobre o egoísmo e onde ele te leva e pensando sobre o altruísmo e onde ele te leva, eu te digo: esqueça do outro. SEJA EGOÍSTA! Priorize sua felicidade , permita que você volte a caminhar pelo caminho de sua escolha. Permita que sua cerveja volte a ser deliciosa e que você esteja em seu primeiro plano. O outro não pode fazer isso por você! Você deve fazer isso por si mesmo(a). Só você pode! Isso é ser ‘egoísta’. Eu queria saber antes que o egoísmo é uma forma de amor próprio, pois tudo o que me ensinaram até então foi que o amor é uma forma de egoísmo.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s