Como ‘estar bem’ com tanto sofrimento no mundo?

Ela chegou até mim e simplesmente perguntou, como quem não queria nada:

-Tudo bem?

-Tudo, estou bem – respondi.

-Mesmo? – indagou ela – Está mesmo bem?

-Estou.

-Mesmo sabendo da fome no mundo? Mesmo sabendo da guerra? Mesmo sabendo que as pessoas matam umas às outras? – ela insistiu.

-Sim, tudo bem. – respondi, com a mesma insistência.

-Então você sabe sobre todo o sofrimento do mundo? Sabe sobre a exploração que existe por aí? Sabe que ainda existe trabalho escravo no nosso mundo? E a depressão? Outras doenças incuráveis? E mesmo assim diz que está tudo bem?

-Sim, estou ciente de tudo isso… Está tudo bem, obrigado.

Ela deu dois passos para trás. Acendeu um cigarro, deu uma tragada e o apagou. Deu então dois passos para frente:

-Alguém que você amou já morreu? – ela perguntou então.

-Sim, alguém que amei já morreu. Recentemente, na verdade – respondi.

-E mesmo assim você está bem?

-Sim, estou bem.

Ela começou a andar em círculos. Pegou novamente o seu cigarro, mas não o acendeu. Algo a incomodava, talvez o fato de estar tudo bem.

-E você sabe que irá morrer também? Que irá sofrer? Que amanhã pode se dar conta de todas essas coisas que eu lhe disse? – insistiu.

-Sim, sei que irei morrer, assim como sei que irei sofrer. É tudo inevitável, não é? – indaguei.

-E mesmo assim está tudo bem? Mesmo com tudo isso?

-Sim! Está tudo bem!

Ela bufou. Olhou para um lado, depois olhou para o outro lado e então voltou a olhar para mim:

-Bem… Eu não entendo isso! – disse ela – Como você pode estar bem com tanta coisa de errada no mundo? Tanta fome, miséria, exploração, guerra, doenças. Como pode dizer que está ‘bem’ com tudo isso? Você não se importa com isso?

Fechei os olhos, então os abri de novo.

-Não é sobre se importar ou não. Você me perguntou se eu estou bem. E eu lhe respondi que sim, estou bem! O sofrimento do mundo, assim como o meu próprio sofrimento… É inevitável! Só por hoje eu escolhi não sofrer com nenhum deles. Só por hoje escolhi não sofrer, mesmo diante de tanto sofrimento. Só por hoje resolvi não carregar todo o peso do mundo nas minhas costas. Só por hoje, decidi estar bem – respondi.

-É… Esse é um jeito de se olhar para as coisas – disse ela, não muito satisfeita.

Ela voltou a pegar o cigarro que tinha apagado antes. Colocou-o na boca enquanto ia embora, mas não o acendeu. Virou as costas, andou por uns dez metros e então retornou, quase correndo:

-E amanhã? Como você estará? – perguntou ela.

-Amanhã, só por amanhã, estarei bem.

Anúncios

4 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s