Precisamos desesperadamente de mais INTERPRETAÇÃO DE TEXTO

Não é fácil escrever no Brasil.  E não apenas devido ao fato de que 44% da população brasileira não lê e 30% nunca comprou um livro. É difícil escrever porque temos uma população que simplesmente não detêm a capacidade de interpretar um texto. Eles sabem ler, compreendem a distribuição das letras, palavras e sentenças dentro do texto, mas não conseguem interpretar efetivamente o que está sendo dito ali.

Sinto isso na pele. De vez em quando, um texto meu viraliza na internet, o que atraí muita gente para o blog e acaba ‘enchendo o saco’, por assim dizer. Semana passada, um texto meu viralizou. Esse texto aqui, que basicamente expressava uma crítica pelos vandalismos e furtos ocorridos com o sistema de compartilhamento de bicicletas da Yellow; falava sobre ocorridos em todo o mundo, inclusive em países como a França. Leia um trecho abaixo:

As bicicletas Yellow, no fim das contas, acabam servindo como uma metáfora que diz muito sobre a gente. Quando eu digo ‘a gente’ não falo apenas sobre o povo brasileiro, mas sim de uma humanidade que parece ser incapaz de pensar no próximo. Ninguém liga para os prejuízos da empresa, tudo bem. Mas qual a necessidade de destruir as bicicletas em um puro gesto de imbecilidade? (...) O serviço tem tudo pra operar bem, ele só enfrenta um inimigo: a falta de senso de comunidade das pessoas.

Obviamente, dou bastante ênfase ao caso brasileiro no texto, porém deixo bem claro que se trata de um problema da humanidade. O resultado? Passei a semana inteira lendo (pois não tenho paciência para responder) comentários sobre eu “estar criticando o povo brasileiro” ou estar “generalizando o povo brasileiro”. NADA DISSO! O texto fala em um contexto amplo. Alguns leitores, entretanto, ficaram profundamente ofendidos, como se eu os estivesse acusando de furtar ou vandalizar as bicicletas amarelas.

Infelizmente, não foi a primeira vez e nem será a última. É frequente inclusive que as pessoas opinem sobre o texto sem ao menos o ler. É frequente ter que pedir para a pessoa ler/reler o texto, devido à opinião dela não ter nenhuma relação com o conteúdo. Em um país que lê muito pouco (quando lê) é difícil pedir por mais interpretação de texto, o que não significa que a pessoa deva interpretar de acordo com o que o autor escreve, mas sim dentro do contexto por ele proposto.

Nós brasileiros (sim, dessa vez estou generalizando) não somos leitores de obras literárias. Éramos leitores de revistas de fofoca e nos tornamos leitores de manchetes de notícias nas redes sociais. O conteúdo pouco importa, pois todo mundo quer dar a ‘sua opinião’. E a manchete ou uma leitura rasa e sem senso crítico das ideias apresentadas é o suficiente para emitir ‘uma opinião’, sem qualquer compromisso ou embasamento. Somos, em geral, leitores irresponsáveis.

Eu sei que o país tem problemas gravíssimos em todos os setores da sociedade. Sei disso! Mas acredito que nenhum desses problemas possa ser resolvido sem que haja uma mudança interna na população como um todo: a interpretação de texto faz com que tenhamos senso crítico diante das informações que nos são apresentadas; é ela que permite que nós possamos fazer da nossa linguagem uma prática social e permite que nós possamos atuar como agentes transformadores da realidade que nos cerca.

Se conseguirmos caminhar rumo à interpretação de texto, nós certamente iremos caminhar rumo à uma direção correta. Precisamos ‘reaprender’ a ler, precisamos reaprender o que significa ser um leitor. Redescobrir a leitura, não apenas de manchetes e de blogs na internet, com prazer.

Precisamos URGENTEMENTE de mais interpretação de texto. Do contrário, o que estamos fazendo? A internet é uma ferramenta poderosa que deveria nos democratizar. Ao invés disso, revelou uma legião de idiotas que não detêm a capacidade de interpretar um texto. Construir um país educado e que realmente é capaz de interpretar textos deveria ser uma das nossas prioridades vitais. Mas, a quem isso interessaria, certo?

Talvez tudo o que possamos fazer é treinar melhor o nosso cérebro. Ler (e ler de verdade) o máximo que pudermos. Encorajar nossos amigos e familiares a fazerem o mesmo. INTERPRETAR AS INFORMAÇÕES QUE RECEBEMOS A PARTIR DA LEITURA é um dos mais importantes desafios que enfrentamos. Ninguém aceita a sua incapacidade de interpretar um texto e esse é o grande obstáculo! Quando ocorre algo aqui no blog, a pessoa por muitas vezes simplesmente apaga o comentário. Será que ela releu o texto e procurou interpretá-lo? Pouco provável.

Talvez, se pudermos aprender a interpretar textos, possamos enfim nos unir para alguma coisa. Lembra quando acreditávamos que a sociedade era organizada e feita para que cuidássemos um dos outros? É possível que recuperemos isso. Precisamos alimentar nossos cérebros, desenvolver o pensamento crítico. Esse é o caminho para que possamos melhorar como pessoas. Não faltam benefícios pessoais ou coletivos se realmente conseguirmos, algum dia, desenvolver a capacidade de interpretar textos. Daí, não haverá limite para o que poderemos fazer.

Anúncios

ComentAnderson

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s