Sim, você deveria trocar “um amor” pelo carnaval

Sempre gostei muito do carnaval, mas nos últimos anos ele realmente perdeu um bocado da graça. Fico com preguiça só de pensar em festa. Prefiro ficar em casa, preparar uma janta com minha amada, ler sobre algo interessante ou simplesmente ficar com minhas pantufas do Scooby Doo a postos esperando pela chuva para assistir a um filme debaixo das cobertas.

Naaaaa… Eu cansei do carnaval e essa é a mais pura verdade. Na verdade, quando a gente entra em um relacionamento por muito tempo, das duas uma: ou você vira uma pessoa caseira ou você acaba indo para essas festas com a pessoa amada. Invejo os casais que tem a disposição que eu não tenho, na verdade, mas no fundo é decisão de cada um.

Você já ouviu a frase “Nunca troque um amor pelo Carnaval“? Pois bem, eu já fiz isso e não me arrependo. Eu tinha esse “amor”, mas não era amor de verdade. Era um pouco de possessão, bom sexo e uma companhia para beber nas segundas-feiras. Acabamos nos tornando “exclusivos” e ela realmente já detestava o carnaval na época. Eu não. Recebi o convite de alguns amigos para viajar para o carnaval. Lembro que ela me disse: “Se me trocar pelo carnaval, pode me esquecer”.

E eu “a troquei” pelo carnaval, simples assim. No fundo, eu não queria ter um relacionamento e sabia que quando houvesse qualquer conflito entre o meu relacionamento e minha liberdade, eu iria optar por minha liberdade. Eu sei, isso é um bocado egoísta. Mas foi só “um amor” e não “o amor”.

Eu nunca trocaria “o amor” pelo carnaval, mas “um amor”? Com toda certeza! Você pode abdicar de muita coisa por “o amor”, mas não deveria se privar de nada “por um amor” passageiro, um amor de verão, um amor de carência, um amor de momento.

Se o seu “amor” não lhe faz sentir como se você amasse de verdade, você provavelmente deveria largá-lo pelo carnaval, mesmo que planeje passar o carnaval em casa sem fazer nada. Abandone aquele “amor” que te puxa pra baixo, que lhe faz se sentir mal, que lhe ameaça dizendo que você nunca vai encontrar um outro “amor” como aquele. E você nem precisa esperar pela chegada do carnaval! Faça isso hoje! Se respeite. Vai surgir o teu “o amor” um dia e daí você vai sentir prazer em abrir mão das coisas que um dia foram a sua vida, pois o teu “o amor” se tornará a sua própria vida.

E esse texto não é sobre largar alguém para ir para o carnaval. Recomendo que você largue o amor que te envenena na páscoa, no natal, no dia dos namorados, no seu aniversário, em qualquer oportunidade que você tiver. Se você tiver “um amor”, mais um dentre tantos outros que tu terá, que simplesmente deixa o seu coração cansado e sua mente esgotada, você deve se colocar em primeiro lugar. E se colocar em primeiro lugar diante de “um amor” que lhe cutuca com facas e garfos afiados, nesse caso, é deixar esse “um amor” pra lá.

Quando encontrar o amor que te aprisiona, largue-o  instantaneamente. Seu “o amor” está por aí. Ele é único, envolvente, acolhedor. É o amor verdadeiro, pelo qual tu deve zelar.

Quanto aos amores que te botam pra baixo, aqueles que só existem para que tu não se sintas sozinho(a), simplesmente te liberte. Te liberte do teu “um amor” que tanto lhe faz mal e crie um carnaval dentro de si mesmo. É apenas uma dica. Eu não vejo o mundo com seus olhos e nunca andei com os seus sapatos. Agora, se me dão licença, preciso ver se encontro minha pantufa do Scooby Doo, afinal, o carnaval está chegando.

2 comentários

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s